Como fazer as pessoas amarem a sua marca

Além do crescimento e faturamento, há algo de emocional nos consumidores fiéis em grandes marcas mundiais.
Todo ano, um relatório da Interbrand avalia as 100 marcas mais valiosas do mundo. Por vários anos consecutivos, a Coca-Cola é a primeira colocada, seguida da Apple e IBM. O Google sobe rapidamente e está na quarta posição, à frente da rival Microsoft.
Mas o que será que faz essas marcas serem tão amadas, lembradas e valorizadas? Além do ponto de vista de business, que enxerga crescimento e faturamento, há algo de emocional nelas que faz o consumidor esquecer o racional e partir para um consumo instintivo e emotivo.
O consumidor percebe quando a marca está voltada para atender as suas necessidades ou permitir seu crescimento. Enquanto a Coca-Cola apela para campanhas que valorizam a felicidade, mas oferece um produto pouco saudável, a Apple se apressa em prever necessidades e colocar seu consumidor sempre à frente na tecnologia e design – pensando em usabilidade que transforme as ferramentas em algo fácil de usar.
Tenho certeza de que marcas como Apple e Google – outro grande case em atender ao consumidor e suprir as suas necessidades – rapidamente irão ocupar as primeiras posições. Elas realmente se esforçam em oferecer o melhor para o consumidor, e essa característica pode ser facilmente detectado.
No meu caso, procuro sempre inovar e oferecer algo inédito para o consumidor, que agregue algo para sua saúde, beleza e qualidade de vida. A meu ver, é confortante saber que uma empresa está o tempo todo pensando na sua saúde e aparência e que, para tudo o que oferece, selecionará os melhores ativos, as embalagens mais diferenciadas e tecnologia de ponta.
Fazer bem feito, com valores claros e corretos, com foco no consumidor é, para mim, o único caminho para ser uma marca amada e valorizada.
Cristiana Arcangeli é empreendedora e atua no ramo de cosméticos desde 1986, fundadora de marcas como Phytoervas, Éh Cosméticos e Beauty’in.